Discurso de Aécio Neves recebe apoio de senadores

As propostas apresentadas pela Presidente do Poder Executivo Dilma Rousseff para contornar a crise social que continuar gerando protesto em todo o país, ainda não é bem recebida por representantes políticos.  O senador Aécio Neves presidente do PSDB, sugeriu em reunião do Plenário do Senado desta terça-feira (26), medidas para responder as demandas da população e iniciativa foi muito bem recebida por parlamentares.

O discurso de presidenciável para eleições de 2014, Aécio Neves, propôs medidas que podem ser imediatamente aplicadas que responderiam as demandas que mais se repetem entre manifestantes de todo o Brasil. As pautas se subdividem em três partes: Transparência e do combate à corrupção, federação solidária e da melhoria da gestão e ética e da democracia. Cada parte detalha tarefas que, segundo membros do senado, são mais aplicáveis e objetivas que as sugeridas por Dilma Rousseff na reunião do dia anterior.

Vários senadores da oposição e inclusive alguns aliados do PT aprovaram a iniciativa do senador tucano.  Entre os colegas que estariam dispostos a adotar as medidas figuram o senador Agripino Maia (RN), presidente nacional do Democratas, Pedro Taques (PDT-MT) e a senadora Ana Amélia (PP-RS).

O manifesto apresentou-se em sintonia com o desconforto que existe entre dirigentes com a gestão de Dilma Rousseff, que pareceu vaga ante pedidos da população. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) foi conclusivo: “O senhor disse que, ao ouvir o discurso da presidente, tem a sensação de que o Brasil velho fala para o Brasil novo, que nasce nas ruas. Eu assino embaixo”.

Advertisements

Aécio Neves reúne forças contra proposta de plebiscito

Dirigentes de diferentes Estados compareceram nesta segunda-feira a convocação da presidente Dilma Rousseff para tratar uma série de medidas emergenciais pela crise social conseguiu decepcionar inclusive a alguns dirigentes do PT. A proposta que causou um desgosto generalizado foi a Reforma Política a través da realização de uma Assembleia Constituinte. Uma das vozes mais críticas continua sendo a do senador e pré-candidato a presidente presidente Aécio Neves em 2014 que liderou a oposição.

O mineiro Aécio Neves presidente do PSDB acusou a presidente de tentar distrair a todos com uma medida que passa uma responsabilidade da gestão do poder executivo para o Congresso. “É uma competência exclusiva do Congresso convocar plebiscito. Para desviar atenção, ela transfere ao Congresso uma prerrogativa que já é do Legislativo e não responde aos anseios da população”. O tucano reclama que Dilma parece que tomou posso ontem e que o PT não teve tempo para tomar todas as medidas emergenciais em 10 anos no poder.

Houve comunicação fluida entre diferentes partidos da oposição e o PSDB, DEM e MD (Mobilização Democrática) se manifestaram a favor de uma Reforma Política sempre que se estabeleça dentro dos padrões legais sem limitar o Congresso Nacional. Entre os questionamentos mais fortes está o silencio sobre pautas reivindicadas nas manifestações do país inteiro como a falta de clareza sobre a origem e o destino de fundos para financiar a construção de prédios e estádios para a receber a Copa do Mundo em 2014 e a votação da PEC 37 amplamente repudiada que repassa o poder de investigação de crimes do Ministério público para a polícia.